LOGO

ESTUDOS

DEVOCIONAL

Síndrome do Gafanhoto

Por Administrador | 11/04/2017

“Também vimos ali gigantes, e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos”. Números 13.33


Um dos grandes desafios do homem moderno é enfrentar suas psicomanias, contraídas principalmente nestas últimas décadas. As doenças emocionais tem alterado projetos de vida de muitos e infelizmente levado um grande número de pessoas passarem a vida toda à sombra de seus traumas que só lhes prejudicam a viver com qualidade, e de forma vitoriosa. Entre muitos complexos podemos destacar os complexos de inferioridade, de superioridade, de perfeccionismo, de susceptibilidade e outros. Em função do espaço disponível aqui, comentaremos apenas o primeiro complexo, ou seja, o complexo de inferioridade. Geralmente as pessoas portadoras desta doença emocional, levam consigo uma imagem negativa em tudo que vão fazer e acabam por desenvolver um sentimento de desvalor, uma perene sensação de incapacidade, que lhes faz sentir menor que todas as outras pessoas. São várias as causas que levam as pessoas a desenvolverem este tipo de complexo. Entre elas a pobreza, defeito físico, pouco estudo, cor, cultura, altura, etc. Há na Bíblia uma passagem que retrata bem este tipo de problema. Quando o povo de Israel estava para conquistar a terra que Deus havia prometido, Moisés mandou doze homens, para espiarem a terra e naturalmente trazer informações importantes para a conquista. Porém, dez dos doze espias, voltaram com um relatório extremamente negativo. Chegaram ao ponto de se sentirem como gafanhotos, diante dos desafios da conquista. No entanto, entre eles haviam dois espias, que servem de exemplo para nós, Josué e Calebe, que diferentes dos demais, enxergaram aquela situação de outra maneira, e isto deu a eles o direito de tomarem posse da promessa.


Quem conhece toda a história, sabe que o fato deles não terem acreditado na vitória, atrasou a conquista da terra em quarenta anos, visto que Deus não permitiu que todos os que possuíam mais de vinte anos, quando saíram do Egito, entrassem na terra prometida, com exceção de Josué e Calebe, que acreditaram que era plenamente possível conquistar a terra.  Em outras palavras, depois de vagar quarenta anos pelo deserto, os filhos daquela gente, se apropriaram da promessa de Deus, por acreditar que, com Deus à sua frente, tudo torna-se possível. Quando a pessoa desenvolve este tipo de complexo, tudo que vai fazer, é visto com muita dificuldade, uma vez que a auto estima destas pessoas geralmente é muito baixa, levando as mesmas a desacreditar no seu próprio potencial. Sem sombras de dúvidas, a causa de muitas pessoas terem seus projetos falidos já no seu nascedouro, é justamente por desenvolverem este tipo de comportamento. Diante de tudo isto, o primeiro passo a dar rumo a vitória, é a pessoa reconhecer que é portadora do complexo de inferioridade. Em seguida, o próximo passo é encarar o problema de frente, consciente que é possível vencê-lo. Torna-se necessário também que a pessoa aceite sua responsabilidade em todo este processo, assim como perdoar a todos os que estão envolvidos no problema, visto que é comum, tais pessoas, culparem outras especialmente a família, por causa da maneira em que fora criado. Por fim, perdoar a si mesmo e acima de tudo pedir ao Espírito Santo para que venha dar forças na superação do referido complexo, é o melhor caminho para a vitória. Tente, você não é gafanhoto, você nasceu para vencer!

Deus vos abençoe.
Pr. Isaac Vicente Ribeiro

Últimas Fotos


ÚLTIMAS FOTOS

14ª EBO - Franca

Veja Mais
ÚLTIMAS FOTOS

INAUGURAÇÃO AD JD. LUIZA II

Veja Mais
ÚLTIMAS FOTOS

Batismo 26/08/2018

Veja Mais
ÚLTIMAS FOTOS

Batismo 26/08/2018

Veja Mais